Encontro inesperado

No fim-de-semana, quando regressava a pé da minha incursão diária ao Papaloca, um café/restaurante com wifi que me liga ao maravilhoso mundo da internet, fui travada por este bailarino gigante que se passeava na rua e não me deixou passar enquanto não lhe dei uma moeda. O espectáculo que se seguiu valeu cada franco.

Entretanto, alertaram-me que se calhar andar a pé à noite e sair à rua com o computador na mão à turista curiosa é capaz de não ser boa ideia. A verdade é que nunca me senti ameaçada em Bissau, nunca senti medo  (a não ser do trovão desta noite que achei que me ia entrar casa a dentro).

Depois de me terem contando algumas histórias menos felizes de assaltos (sem violência física), vou passar a ter mais cuidado. Sobretudo agora que o Governo guineense se anda a esforçar para tornar os portugueses personae non gratae (sim, fui ver como se escreve o plural que o latim é uma cena que ainda não me assiste).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s